Pesquisa aponta aumento na confiança do agronegócio

 

A melhora no Índice de Confiança do Agronegócio (IC Agro), medido pelo Departamento do Agronegócio (Deagro) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) subiu 6,7 pontos no terceiro trimestre de 2017, ficando em 99,1 pontos. Esse número indica uma recuperação do indicador em todos os segmentos pesquisados.

O setor dos insumos agropecuários (a chamada antes da porteira), onde a ANDAV se encaixa, somou 104,8 pontos. Uma alta de 11 pontos frente ao trimestre anterior. De acordo com a metodologia do estudo, uma pontuação acima de 100 pontos corresponde a otimismo.

De acordo com Antônio Costa, da Deagro, algumas incertezas que pairavam sobre o setor ao longo do ano foram amenizadas e que muitos produtores que mantiveram uma postura mais cautelosa, adiando as aquisições dos insumos, voltaram a negociar.

A alta sentida pelo no setor da produção agrícola foi moderada, cerca de 3,1 pontos, resultando na pontuação de 92,9. Entretanto, outro aspecto sentiu um novo ânimo: os preços agrícolas de commodities importantes como a soja e o milho se recuperaram um pouco em relação ao segundo trimestre, com a abertura de algumas janelas de comercialização.

 

A melhora no Índice de Confiança do Agronegócio (IC Agro), medido pelo Departamento do Agronegócio (Deagro) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) subiu 6,7 pontos no terceiro trimestre de 2017, ficando em 99,1 pontos. Esse número indica uma recuperação do indicador em todos os segmentos pesquisados.

O setor dos insumos agropecuários, antes chamada “da porteira”, onde situa-se a ANDAV, somou 104,8 pontos, o que corresponde a uma alta de 11 pontos em comparação ao trimestre anterior. De acordo com a metodologia do estudo, uma pontuação acima de 100 pontos corresponde a otimismo.

Segundo Antônio Costa, Gerente do Deagro da FIESP, algumas incertezas que pairavam sobre o setor ao longo do ano foram amenizadas e muitos produtores que mantiveram uma postura mais cautelosa, adiando as aquisições dos insumos, voltaram a negociar.

A alta sentida pelo no setor da produção agrícola foi moderada, cerca de 3,1 pontos, resultando em uma pontuação de 92,9. Entretanto, outro aspecto ganhou novo ânimo: os preços agrícolas de commodities importantes como a soja e o milho começaram a se recuperaram em relação ao segundo trimestre, consequência da abertura de algumas janelas de comercialização.

*Fonte: Canal Rural